Com crescimento acelerado, a automação se tornou uma tecnologia mais acessível às empresas e auxilia cada vez mais na realização de tarefas complexas e específicas. 

O mercado global de Automação Robótica de Processos (RPA) atingirá o valor de 4,1 bilhões de dólares em 2026. Esta informação está em um relatório divulgado pelo Grupo Acumen. O crescimento do setor está atrelado à crescente procura por soluções de automação, a integração com as tecnologias de inteligência artificial (AI) e o mercado das PMEs.

Um outro relatório do Grupo IMARC, aponta que o mercado de RPA chegará a 11,4 bilhões de dólares em 2027. A cifra foi de 2,1 bilhões de dólares em 2021.  Nota-se então, que com o desenvolvimento da tecnologia, o uso de robôs e a integração com Inteligência Artificial e a RPA, então se tornando cada vez mais popular e uma excelente opção aos negócios. 

Visto que a palavra automação ganhou destaque nos últimos anos, principalmente quando o assunto é melhoria de processos internos, ultimamente muitas empresas buscam aumentar a produtividade e consequentemente, o lucro. De acordo com René Fantini, CEO & Founder da Renew Solutions, empresa especializada em otimização e automação de processos, a RPA é uma solução necessária às empresas que buscam otimização e maior lucro e produtividade. “Podemos considerar que ela é uma solução de automação de processos, tarefas manuais e repetitivas, além de simular as atividades feitas pelas pessoas”, explica. 

Se aliar à Automação Robótica de Processos

A automatização Robótica de Processos busca ser um acelerador para a obtenção de benefícios da transformação digital. Fatini informa que além da solução ser de rápida implementação e adaptação empresarial, ela expande-se dentro da empresa nas diferentes áreas trazendo resultados rápidos, mas para isso, é preciso se aliar a empresas que implementam o RPA.  

O especialista em otimização e automação de processos cita como exemplo a empresa Ellevo, que desenvolve soluções para automatização de processos e centralização de dados, como a Plataforma Ellevo e o Ellevo Next, sistemas aliados ao RPA. “Neste caso, o RPA funciona como uma espécie de assistente virtual dos sistemas Ellevo, adaptando-se aos processos rotineiros das empresas, trabalhando de forma semelhante aos chatbots. Em seu processo de automação, o RPA combina inteligência e machine learning”, explica a CEO da Ellevo, Irene da Silva Ribeiro.

Como exemplo, Irene declara uma aplicação do RPA na Plataforma Ellevo, no departamento financeiro.  “As soluções da Ellevo podem realizar automaticamente uma verificação diária de títulos de dívida. Dessa forma, irá buscar informações e enviar ao departamento avisos sobre o que não foi pago pelos clientes. Dependendo do caso, se ninguém tomar providências, o RPA poderá prosseguir e iniciar a cobrança. Assim, sem interferência humana, todo o processo de cobrança de dívidas é resolvido de forma rápida e simples”.

“Há uma redução significativa da perda de tempo com tarefas operacionais. Ações periódicas são abertas automaticamente e o funcionário só precisa executar a ação, sem ter que abrir uma tarefa para isso, ou seja, todo o processo acontece de forma mais clara e eficiente, com redução de possibilidade de erro humano ou esquecimento de alguma ação operacional”, explica a CEO da Ellevo.

Vantagens de implantação e adoção ao RPA

René Fantini cita que as empresas que não compreendam a importância de otimizar e automatizar processos com RPA, perderão competitividade em relação às que adotam.”Exemplo disso é que com o RPA não é possível ocorrer  erros por baixa produtividade. A execução de uma tarefa será igual no início e fim do expediente, ou seja, automatizada. Não existe o fator fadiga, é muito mais fácil prever e programar a carga de trabalho para os robôs e com isso, facilita o nível de serviços para os clientes”, explica.

“A adoção de RPA deve acontecer aos poucos. Deve-se iniciar com processos mais simples e ir aumentando a complexidade à medida que a automação vai entrando na cultura da empresa”, explica Fantini.

Uma dica citada pelo especialista é realizar uma avaliação dos processos internos para saber quais serão os benefícios. “Eles podem ser econômicos (ao diminuir ou evitar custos), reduzir riscos ou fazer uma contribuição para os eixos estratégicos da empresa”, conta.