Que o home office é uma realidade cada vez mais presente nas empresas, não há dúvidas. Mas fato é que para muitos negócios, trabalhar com equipes alocadas remotamente ainda é sinônimo de dor de cabeça. Isso porque boa parte das empresas não possui uma cultura digital orientada à organização da rotina de trabalho, nem processos claros em relação a ela.

Para conduzir equipes  em home office é preciso que gestores estejam atentos a algumas boas práticas e inovações que apoiarão a empresa nesta transição para uma rotina de engajamento e resultados. Veja aqui as dicas que separamos!

O cenário atual do home office no Brasil

Passado o primeiro ano de pandemia, o país segue com mais de 7 milhões de pessoas trabalhando de casa, segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). E este número também é refletido no resultado econômico do país. Portanto, o trabalho remoto não é uma tendência, mas uma realidade que exige adequação e preparo das empresas. Times pouco engajados e marcas sem rotinas estruturadas para este modelo de trabalho tendem a produzir menos.

Outro fator preocupante é a rotatividade de profissionais, visto que no trabalho remoto manter a cultura organizacional e o engajamento são desafios diários.

Boas práticas para o controle do home office

Para driblar o cenário desafiador, sua empresa deve estar atenta a algumas boas práticas. São elas:

             – Crie regras claras sobre a rotina do trabalho remoto: um dos erros mais comuns quando se fala em home office é a confusão deste modelo com o trabalho flexível. Nem sempre atuar de casa significa não cumprir determinada carga horária, para entrar e sair do expediente.

Essas questões devem ser pontuadas e documentadas para que gestores e colaboradores tenham clareza sobre as regras do home office. Além da possibilidade ou não de jornada flexível, questões como manter conexão em ambientes online de interação, com câmera e microfone abertos, respeitar horários de descanso e registrar devidamente as atividades, devem ser pontuadas.

             – Realize reuniões e alinhamentos periódicos: a cultura organizacional é um fator de atenção quando falamos de trabalho remoto. Sem o contato diário, o bate-papo entre colaboradores ou o cafezinho no corredor, o engajamento não é o mesmo. Por isso, invista em reuniões periódicas para alinhamento de atividades, além de um tempo para momentos de descontração da equipe.

Ações de RH que visam o lazer também ajudam neste sentido e o feedback não pode ficar de fora. É essencial que o gestor esteja aberto a conversas transparentes com seus liderados para otimizar a rotina de trabalho.