Apontada por muitos como tendência das instituições de ensino, a digitalização vai além de recursos para aulas a distância. Estre processo envolve toda a gestão desse tipo de negócio, do atendimento ao aluno/cliente até a organização de processos internos.

Além de pensar na estrutura necessária para ampliar a atuação em ambientes virtuais e aplicar automação na rotina, é essencial que escolas – de negócios, faculdades ou de ensino fundamental – pensem em longo prazo.

Saiba neste post como aplicar e quais as vantagens da digitalização para as instituições de ensino.

A realidade da educação brasileira X digitalização no setor

Em 2020, boa parte das entidades ligadas a educação precisaram se adaptar. Com a proibição de aulas presenciais por conta da pandemia do coronavírus, o uso de plataformas para EAD se tornou essencial. Porém, essa realidade não era comum no setor.

De acordo com o Comitê Gestor da Internet no Brasil, apenas 28% das escolas urbanas do país contavam com soluções EAD. Além disso, outros desafios estão presentes no que diz respeito à digitalização.

Para se comunicar com alunos e famílias, 79% das escolas particulares utilizam as redes sociais. O número pode parecer alto, mas não significa eficiência: este dado apenas reflete o tipo de canal utilizado para o repasse de informações.

No que diz respeito ao atendimento de demandas e resoluções de dúvidas, há ainda pouca organização. Muito desses desafios se dá pela falta de organização e centralização de processos na área educacional.

3 exemplos de digitalização para instituições de ensino

Levando em consideração essa nova realidade, é preciso pensar em longo prazo. Afinal, a digitalização tende a ser cada vez mais comum na educação.  Não é apenas o formato de ensino que muda, mas toda a estrutura organizacional de entidades que entram no contexto da digitalização. Aqui vamos elencar alguns exemplos que a sua organização pode aplicar em curto, médio e longo prazo para se tornar mais eficiente e competitiva:

1 – Rotina de automação para o atendimento:

Muito trabalho está por trás da rotina educacional. E a organização desse fluxo é muito mais eficiente quando há digitalização. Por exemplo: instituições de ensino que usam a digitalização para processos internos tendem a ser mais eficientes. Além disso, utilizam melhor seus recursos. A padronização do modelo de atendimento através de multicanais integrados tende a ser mais frequente. Ganha-se com a agilidade no tempo de resposta, inclusive, com o uso de chatbots para dúvidas mais frequentes.

2 Finanças em dia:

Em um momento tão desafiador como o imposto pela pandemia, ter uma organização financeira bem estruturada é um diferencial. A tecnologia ajuda em diferentes pontos. Um deles é a organização do fluxo de cobranças. Apoia também na análise de fornecedores e renegociação com clientes e na programação de ações para redução de custos. Também é importante que a automação esteja presente neste fluxo de trabalho. Ela permite que a equipe foque seu tempo em ações estratégicas. Menos trabalho operacional é sinônimo de menor custo e mais eficiência nas entregas.

3 – Custos reduzidos para a competitividade:

Pesquisas apontam que 28% da população não tem acesso à educação, por conta da falta de recursos financeiros. Este é um nicho a ser explorado através de modelos inovadores e com menor custo para a população. Como é possível? Com a digitalização de processos que vão além da plataforma para a oferta de cursos online.

Quando a digitalização ocorre em todo o processo, ela reduz custos que implicarão diretamente na oferta de produtos e serviços. Por exemplo: se você conta com atendimento integrado e serviços compartilhados para a melhoria do fluxo de atuação, consegue automatizar diversas etapas. Assim, garante mais agilidade a rotina. Na prática, significa fazer mais com menos. Quando há automação, uma equipe enxuta pode atender mais pessoas com qualidade e assertividade.

Conforme falamos aqui, a digitalização traz compliance para o negócio educacional, porque alinha processos e mantém o fluxo de atuação bem mapeado para a melhoria contínua.

Dois exemplos de automação na área educacional podem ser vistos aqui na Ellevo: o grupo Positivo utiliza a nossa plataforma para gerenciar o fluxo de atividades e ampliar a oferta de atendimento.

Já a Fiesc, que conta com cursos de profissionalização, usa a plataforma para o atendimento aos clientes/alunos. Dessa forma consegue padronizar processos e agilizar as demandas, garantindo melhores entregas ao seu público.

Saiba mais sobre como a automação pode mudar a realidade das instituições de ensino e como podemos apoiar o seu negócio neste processo. Entre em contato com nossos especialistas.